Notícias AMPRS

Empossados novos integrantes do CSMP para a gestão 2018-2020

Publicado em 09-07-2018



Os novos integramtes do Conselho Superior do MPRS para o biênio 2018-2018 foram empossados nesta segunda-feira (09), em sessão solene do Órgão Especial do Colégio de Procuradores. O ato foi realizado no Auditório Marcelo Dario Muñoz Küfner, na sede da Instituição, e contou com as presenças do presidente da AMP/RS, Sérgio Harris, e da vice Martha Beltrame.

cs1.pngApós a abertura feita pelo procurador-geral de Justiça, Fabiano Dallazen, a secretária dos Órgãos Colegiados, Martha Weiss Jung, leu o termo de posse. Em seguida, tomaram posse, como titulares, os conselheiros Armando Antônio Lotti, Cláudio Barros Silva e Roberto Varalo Inácio. Eleito como titular, o procurador Silvio Miranda Munhoz não pode comparecer. Como suplentes foram empossados: Altamir Francisco Arroque, Carlos Eduardo Vieira da Cunha, Dirce Carvalho Soler e Veleda Maria Dobke.



COORDENADORES DE PROCURADORIAS
Também assinaram o termo de posse os novos coordenadores das Procuradorias de Justiça Criminal, Cível e da Infância e Juventude, Educação, Família e Sucessões. O procurador Renoir da Silva Cunha foi empossado como coordenador das Procuradorias Criminais, enquanto que Luiz Carlos Ziomkowski, que não pode comparecer, será seu substituto. O procurador Ricardo da Silva Valdez assumiu a coordenação das Procuradorias Cíveis, tendo Altamir Francisco Arroque como substituto. Já a procuradora Marisa Adami da Silva assumiu a coordenação das Procuradorias da Infância e Juventude, Educação, Família e Sucessões. O substituto será Luciano Dipp Muratt.

SAUDAÇÃO
cs2.pngEm nome do Órgão Especial, a procuradora de Justiça Simone Mariano da Rocha deu as boas-vindas aos novos conselheiros e coordenadores, bem como agradeceu aos que encerraram seus mandatos. “Vossas excelências cumpriram com afinco o seu trabalho de modo incansável e produtivo”, frisou. Em seguida, cumprimentou os novos conselheiros e seus suplentes e desejou a eles um bom trabalho nos próximos dois anos. Citando qualidades e trabalhos realizados por eles, destacou que “o regozijo, hoje, maior é saber poder contar com a experiência decisiva de vossas excelências nessa exitosa contribuição. Homens e mulheres com diferentes biografias que, a par da atuação técnica e institucional irrepreensível, deixaram marcas indeléveis em prol da Instituição, donde decorre o amadurecimento necessário à representação do Colégio de Procuradores junto ao CSMP”.

PASSADO E PRESENTE
cs3.png Em nome dos empossados, Armando Antônio Lotti destacou ser esta a segunda vez que ocupa o posto de conselheiro. Em sua fala, traçou um paralelo entre o trabalho que realizou na década de 1990 e o que irá desempenhar a partir de agora. Segundo ele, naquela época o MP ainda estava se consolidando, e a atuação no Conselho “era mais singela”, centrada em processos de promoções, disciplinares e inquéritos na área ambiental. Já nos dias atuais, de acordo com ele, avançaram diversas formas de atuação, tendo o Conselho implantado maior rigor e transparência em seus julgados. “Sabemos que a tarefa que se discute no nosso horizonte é árdua, mas a biografia dos conselheiros agora empossados é claro indicativo do sucesso nessa empreitada”, finalizou.

PEÇA IMPORTANTE
cs5.png Por último, o chefe do MP agradeceu aos conselheiros que saem e desejou um bom trabalho aos que passam a atuar no colegiado. Em relação ao trabalho do CSMP, Fabiano Dallazen afirmou que ele “interfere no dia a dia do promotor e do procurador de Justiça”, sendo desgastante pelo número de sessões e quantidade de trabalho analisado. “O CSMP é uma peça importante dentro da política institucional. De nada adianta traçar um rumo e planejamento de atividade fim se não encontrar um eco, uma parceria ou respaldo do CSMP”, pontuou. Por último, o PGJ destacou que, nos dias atuais, a atuação do colegiado também deverá enfrentar novas realidades, como acordos na área da improbidade administrativa.

PRESENÇAS
cs6.png Prestigiaram a solenidade o corregedor-geral do MP, Ivan Saraiva Melgaré; os subprocuradores-gerais de Justiça Benhur Biancon Junior, Marcelo Dornelles e Ana Petrucci; o presidente da FMP, David Medina da Silva; o chefe de Gabinete e secretário-geral do MP, Júlio Melo, promotores, procuradores e servidores do MP.