Notícias AMPRS

Vencedores do Prêmio Jornalismo MPRS são homenageados

Publicado em 14-12-2018



No Dia Nacional do Ministério Público, os vencedores da 20ª edição do Prêmio Jornalismo MPRS foram homenageados em evento realizado na sede da instituição, em Porto Alegre. Promovido pelo Ministério Público estadual, em parceria com a AMP/RS e a FMP, o certame contemplou conteúdos veiculados entre os dias 15 de novembro de 2017 e 10 de outubro de 2018, em qualquer mídia, nas áreas de Segurança Pública; Sustentabilidade; Proteção Social; Defesa do Patrimônio Público; Saúde e Educação, definidas como prioritárias na revisão do Planejamento Estratégico do MPRS. A presidente da Associação, Martha Beltrame, e o vice João Ricardo Santos Tavares participaram da entrega dos troféus e certificados.

premiomp5.pngMartha Beltrame distinguiu os vencedores da categoria Proteção Social, ao lado da coordenadora do CAO de Defesa do Consumidor e da Ordem Econômica, Caroline Vaz. Durante a cerimônia, a líder associativa destacou a parceria da entidade de classe e da instituição com a imprensa e salientou os efeitos da evolução global e a forma como o jornalismo e o Ministério Público atravesaram o período. "Nesses 20 anos do Prêmio, as tecnologias avançaram, as formas e os meios de comunicação se renovaram, o papel do jornalismo na sociedade se consolidou, e o do Ministério Público se fortaleceu. Perceber, reconhecer e valorizar a importância desses agentes é, mais do que uma tarefa, um estímulo a que essa chama pelo cuidado com a coisa pública permaneça acesa em cada um de nós", observou a presidente da Associação, que é patrocinadora e uma das integrantes da comissão julgadora do Prêmio Jornalismo.

dala14.pngPor sua vez, o chefe do MP destacou que a premiação foi entregue em dia de festa, uma vez que, neste 14 de dezembro, o Ministério Público comemora o seu Dia Nacional. “Estamos comemorando a representatividade que a Instituição alcançou no seio da sociedade”, disse. Em seguida, ao abordar a relação do MP com a imprensa em geral, Fabiano Dallazen enfatizou o prestígio da parceria de membros da instituição com veículos e repórteres. “A divulgação do trabalho do MP em todas as áreas é de extrema importância para que a sociedade tenha conhecimento”, ressaltou. O PGJ também apontou a mudança da premiação que passou da divisão em mídias para áreas de atuação específica do MP. “Agora a escolha vai ser de acordo com a reportagem que melhor reflete ou simboliza uma atuação nestas áreas que foram escolhidas de impacto social”, afirmou. “Temos que mostrar para a sociedade que o MP não é apenas da área criminal, mas também dos direitos humanos, da proteção social, da educação e da saúde, por que o poder público, como um todo, tem uma responsabilidade em todas estas áreas”, concluiu.

PRESENÇAS
Também estiveram presentes na cerimônia de premiação a secretária de Estado do Gabinete de Políticas Sociais e de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos e primeira-dama do Estado, Maria Helena Sartori; os subprocuradores-gerais de Justiça Cesar Faccioli, Benhur Biancon Júnior, Marcelo Lemos Dornelles e Ana Petrucci; o secretário-geral do MP e chefe de Gabinete do PGJ, Julio Cesar de Melo; o presidente da Fundação Escola Superior do Ministério Público, David Medina da Silva; o presidente da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), Luiz Adolfo Lino de Souza; o diretor do Departamento de Assistência Social da ARI, Ayres Cerutti; o representante do Grupo RBS, Túlio Millmann; a representante do Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Sul, Thaís Bretanha; o representante da Empresa Caldas Júnior, Telmo Flor, promotores que tiveram seus trabalhos destacados nas matérias jornalísticas agraciadas com a premiação, os professores universitários Roberto Belmonte, Leandro Olegário, Francisco Amorim e Matheus Felipe, que orientaram os trabalhos acadêmicos laureados, além de jornalistas, servidores, representantes de entidades e acadêmicos de jornalismo.

CONFIRA OS VENCEDORES
CATEGORIA PROTEÇÃO SOCIAL
premiomp1.pngA categoria “Proteção Social” foi conquistada pela matéria “Leite Compen$ado: Como a cadeia leiteira se renovou para reconquistar o consumidor após 5 anos da operação”, de autoria do jornalista Danton José Boatini Júnior e equipe, publicada no jornal Correio do Povo. O segundo lugar ficou com a série de matérias sobre o trabalho desencadeado pelo Ministério Público para reverter a violência contra as mulheres na cidade de Vacaria, do jornalista Adriano Duarte, publicada no jornal Pioneiro.



CATEGORIA SEGURANÇA PÚBLICA
irion.pngNa categoria “Segurança Pública”, venceu a série de reportagens sobre o avanço de facções criminosas no RS, da jornalista Adriana Irion e equipe, publicada no jornal Zero Hora. A segunda colocação na categoria ficou com a reportagem “Poça de sangue no chão: o retrato de uma nação violenta”, do jornalista Juliano Tatsch e equipe, publicada no Jornal do Comércio.







CATEGORIA SUSTENTABILIDADE
simo.pngJá na categoria “Sustentabilidade”, venceu a reportagem “O que vem antes: direito à propriedade, segurança das pessoas ou direito à moradia?”, de autoria da jornalista Simone Feltes e equipe, veiculada na TVE. Em segundo lugar foi escolhida a série de reportagens sobre o embate entre especulação imobiliária e preservação ambiental, do jornalista Marcelo Chemale, do SBT.







CATEGORIA PROTEÇÃO DO PATRIMÔNIO PÚBLICO
zete.png Na categoria “Proteção do Patrimônio Público”, o primeiro lugar foi da jornalista Zete Padilha, da RBSTV, com a série de reportagens “Secretários e vereadores de Guaíba são afastados por suspeita de fraudes na saúde”. Já o segundo lugar ficou com a jornalista Adriana Irion, do jornal Zero Hora, com a série de reportagens sobre o funcionário da Carris que utilizou a identidade de uma criança morta para desviar dinheiro da companhia.





CATEGORIA SAÚDE E EDUCAÇÃO
sae.png Na categoria “Saúde e educação”, o vencedor foi jornalista Rodrigo Nascimento, do Jornal Gazeta do Sul, de Santa Cruz do Sul, que acompanhou a internação de pessoas em casas geriátricas no município. O segundo lugar foi conquistado pela jornalista Isabella Sander com a reportagem sobre uma parceria entre MP e Ministério Público do Trabalho que proporciona bolsas de estudos pra jovens vindos de abrigos e casas-lares, veiculada na TV Justiça.




CATEGORIA UNIVERSITÁRIA
univ.png O Prêmio Jornalismo também conta neste ano com a categoria “Reportagem Universitária” (1º e 2º lugar), dedicada a estudantes de jornalismo de universidades reconhecidas pelo Ministério da Educação. Os estudantes da Uniritter Jennyfer Siqueira, Luísa Meimes, Guilherme Klafke e Lúcia Haggstrom foram os vencedores com o documentário que aborda a realidade da Penitenciária Feminina Madre Pelletier em Porto Alegre. Já o estudante Pedro Mallmann Carrizo, também da Uniritter, recebeu o segundo lugar com reportagem sobre as casas de jogos clandestinos da Capital. Todos os estudantes vão receber certificados pela participação no Prêmio Jornalismo 2018.