Notícias AMPRS

Tratamento terapêutico para reabilitação é inovação neste Torneio

Publicado em 16-11-2018



Uma novidade está chamando a atenção dos atletas nesta 17ª edição do Torneio Nacional de Futebol Society do Ministério Público, que acontece até o próximo domingo (18), no Centro de Treinamento Esportivo do Grêmio, em Eldorado do Sul: o Centro de Fisioterapia instalado próximo aos campos de futebol. Pela primeira vez na história do Torneio, foi montada uma estrutura capaz de receber os jogadores para atendimento profissional direcionado ao desenvolvimento de exercícios terapêuticos para reabilitação de disfunções causadas pelo esporte ou pela má postura.

Sete fisioterapeutas da BPro (Centro de Treinamento Físico Funcional, com sedes em Porto Alegre e em Vicenza – Itália, que conjuga academia e escola no mesmo ambiente e ministra cursos pelo Brasil) estão à disposição dos atletas durante toda a competição. A fisioterapeuta, osteopata, acupunturista e especializada em reabilitação profissional Manoela Meneghetti de Araújo, responsável pelo trabalho durante o Torneio, diz que a BPro é a precursora, no Brasil, em aliar as duas especialidades (exercícios e reabilitação) na mesma academia e que adquiriu know how na reabilitação imediata de disfunções esportivas.

fisio2.jpgNum primeiro momento, os jogadores recebem o tratamento crioterapêutico, que consiste na imersão do corpo numa piscina de gelo, o que facilita a regeneração muscular. Depois, podem usufruir dos benefícios das botas recovery – também conhecidas como pneumáticas – que regeneram a musculatura fazendo drenagem sanguínea e pressionando os músculos, tendo, como consequência, a melhoria na circulação. Por fim, uma sessão de massagem desportiva deixa o atleta pronto para encarar novas atividades. “Tem atletas que chegam aqui literalmente acabados depois de jogarem três partidas no dia. Eles passam pelo circuito terapêutico e, se tiverem alguma necessidade específica, nossos fisioterapeutas aplicam as técnicas apropriadas para a sua recuperação”, explica Manoela.

Seu colega fisioterapeuta Mateus Petrucci disse que não imaginava uma adesão tão boa aos serviços oferecidos: “Somente no primeiro dia de competições, atendemos a fisio3.jpg120 atletas. Até mesmo as esposas dos jogadores estão buscando atendimento”, conta. E mais: disse que os atletas, especialmente os que vieram de longe, valorizam muito o Torneio. “Eles tiveram que fazer uma grande mobilização para estar aqui. Compreendem a importância da fisioterapia para melhorar suas performances e, consequentemente, tornarem-se mais competitivos. Por isso, investem no treinamento de reabilitação que oferecemos. Alguns chegam a fazer o circuito mais de uma vez por dia”, disse Mateus. Os fisioterapeutas também prestam atendimento nos campos de futebol sempre que são solicitados para atender lesões mais graves. Se for o caso, encaminham o contundido para o serviço médico, o que aconteceu duas vezes no primeiro dia do Torneio.