Notícias AMPRS

O evento fora dos campos

Publicado em 15-11-2018



Ao caminhar por entre as sete quadras de futebol do Centro de Treinamento do Grêmio, em Eldorado do Sul, onde acontece o XVII Torneio Nacional de Futebol Society do Ministério Público, percebe-se que o movimento e as interações não se dão apenas dentro dos campos, mas especialmente fora deles.

dsc_0308.jpgEmbaixo da sombra de uma árvore, atletas fazem aquecimento e massagem antes de disputar uma partida. Ermenegildo Nava, de Araçatuba (SP), por exemplo, recebia  tratamento especializado da fisioterapeuta Marta Aragão, confortavelmente deitado numa maca, enquanto ela lhe trocava bandagens. Marta e o colega Luciano de Abreu, também fisioterapeuta, integram a delegação de São Paulo, e vieram para o Sul para atender exclusivamente aos atletas paulistas. “Temos a preocupação de estimular os jogadores a fazerem aquecimento, alongamento e massagem para soltar a musculatura antes de uma partida. E pós jogo também é fundamental fazer um relaxamento, seja com alongamento, seja com massagem”, explica Luciano. “Especialmente na minha idade, é preciso dar mais atenção aos músculos e tendões, para garantir a participação até o final do Campeonato”, complementa Ermenegildo, que compete na categoria Sênior. “No primeiro dia, todos estão inteiros, mas a partir do segundo dia, começam as baixas”, brinca Marta.

dsc_0312.jpgMais adiante, a tenda que vende erva-mate e utensílios para um bom chimarrão é atração. Embora com um copo de cerveja nas mãos, Lívia Medina da Paz, Iara Girão Bandeira Leão e Joana Leocádia Tabatininga Cardoso, todas esposas de atletas do Piauí, posam para a foto e brincam com a possibilidade de beber o mate amargo. “Nos surpreendemos com esse dia quente e de sol. Viemos preparadas para o frio, trouxe até botas de cano alto”, conta Lívia. Joana, esposa do presidente da Associação Piauiense,  Hugo de Sousa Cardoso, prometeu que, até o final do dia, iria experimentar a tradicional bebida gaúcha.

dsc_0328.jpgOutro que também explorava os produtos da tenda do chimarrão era o amazonense Otávio Gomes e sua esposa, Arliete Gomes. Enquanto ela tentava amenizar a sensação de calor, Otávio era só alegria: “Está tudo perfeito: a receptividade foi ótima, a organização impecável e, o mais importante, o clima de confraternização e congraçamento está por toda parte”, elogiou. Otávio  fez questão de dizer que recentemente concluiu a leitura da biografia de Getúlio Vargas e ficou mais motivado para enfrentar cinco horas de avião até o RS e sentir de perto a cultura e as belezas gaúchas. Porém, apesar de toda essa admiração, Otávio sacou de dentro da mala um pote cheio de farinha de mandioca da sua terra: “Essa farinha é cultivada por índios da Amazônia, que vivem a 800 quilômetros de Manaus, na minha cidade Natal, Santo Antônio de Içá. Não vivo sem ela”, brinca o promotor, falando uma grande verdade.

dsc_0320.jpgO trio formado pelos paraibanos Oswaldo Trigueiro, Otacílio Cordeiro e Bergson Formiga descansava na sombra e assistia às partidas que ocorriam nos campos ao seu redor. Formiga, presidente da Associação Paraibana do MP, era o mais relaxado, deitado na grama e passando o tempo envolvido com o telefone celular. Pela manhã, os três haviam jogado uma partida contra o time da ANPR, que apesar de ter resultado em zero a zero, exigiu esforço físico dos atletas ao se exercitarem debaixo do sol forte. “Participamos todos os anos desse Campeonato desde 2003 e posso afirmar que esta edição está um espetáculo: campos ótimos, arbitragem competente e espaço amplo e agradável”, elogiou Trigueiro. Já Otacílio, o mais extrovertido dos três jogadores, fez questão de lembrar: “Nosso time já foi duas vezes vice-campeão na Super Master e duas vezes campeão no Campeonato Estadual da Região Nordeste. No Nordestão, já fui artilheiro finalizando quatro gols numa competição”, diz, orgulhoso. 

dsc_0343.jpgObservando tudo com olhar atento, andava o educador físico e coordenador técnico do evento, Renato Lopes, conhecido como Camarão. Ao longo do caminho, falava com uma e com outra pessoa determinando providências para que tudo continuasse transcorrendo bem. É responsabilidade dele cuidar das goleiras, dos campos, da arbitragem, enfim, de todo suporte técnico e humano do evento. Durante oito anos, Camarão foi treinador da AMP/RS e conquistou o primeiro lugar no pódio em todas as categorias, algumas mais de uma vez. Ele avalia que esta é a maior edição do Campeonato Society do MP e credita esse sucesso de participação à boa fama futebolística dos gaúchos, além, é claro, da coordenação e execução profissional da competição. “Considero como ponto forte desse evento a nossa capacidade de poder atender a tantos membros do MP de quase todos os estados brasileiros com eficiência, disponibilizando diversos campos de futebol para que as partidas ocorram simultaneamente. O layout do Centro de Treinamento do Grêmio possibilitou concentrarmos diversas disputas simultaneamente e no mesmo local, o que está ajudando muito no andamento da competição”, explica.